Sejam Bem-vindos       

24 de out de 2012

Três características de Neemias











Há pessoas que nada fazem e esperam
algum tipo de vitória nas batalhas
da vida.

O triunfo, porém, é dos que lutam,
dos que confiam em Deus o suficiente
para fazer alguma coisa.






Característica é o traço, atributo ou marca que identifica um objeto, distingue um ser de outro, particulariza um indivíduo. O homem de Deus tem atributos específicos por pertencer ao Senhor.


Neemias, notável articulador e líder político, é um exemplo disso, Ne 6: 1-11. Mesmo estando em cativeiro, na Babilônia, fez o necessário para obter os meios e a permissão para reconstruir Jerusalém, Ne 1: 1-9. Além de soldados e construtores, contou com a ajuda de Esdras, o escriba e líder religioso.


Estudando os elementos que marcaram o caráter desse servo do Senhor, deduziremos preciosas lições para nosso proceder.



Neemias não deu ouvidos a vozes estranhas




A voz é necessária para a comunicação e, no dia-a-dia, há diversas vozes que tentam alcançar nossos ouvidos. Vamos destacar três delas.


A voz do homem pode parecer bonita, mas não significa que fale a vontade de Deus. Por isso, temos de tomar cuidado. Há muitas vozes que falam conosco dizendo ser de Deus, mas não são. São vozes humanas que manifestam o desejo do coração humano.


Um exemplo disso ocorreu com Davi. Reinou em Israel, construiu palácios, teve descanso temporário das guerras e desejou construir uma casa para Deus. O profeta Natã disse para fazê-lo de acordo com seu coração, 2Sm 7: 3, mas Deus não o deixou dormir. Ele teve de voltar ao palácio e, agora, falar a Davi as exatas palavras de Deus.


De fato, temos de ter cuidado, pois em muitos momentos, ouvimos vozes de homem e não de Deus.


A voz do diabo é mansa, mas destruidora. Há várias situações, no contexto bíblico, em que pessoas deram ouvido à voz de Satanás e o resultado foi trágico. Satanás falou aos ouvidos de Eva e ela pecou. Tentou Jesus no deserto, mas Cristo o venceu pela Palavra de Deus. Ele sempre fala para destruir, nunca para edificar a vida de alguém.


Temos de estar com os ouvidos ligados no Espírito Santo para discernir entre a voz de Deus e a do inimigo. Tenhamos cuidado, porque o diabo tenta falar aos nossos ouvidos, mas em lugar de dar atenção à sua voz, é necessário repreendê-lo em o nome de Jesus e pela Palavra de Deus. Só assim será possível evitar desastres na vida cristã.


A voz de Deus nem sempre diz o que queremos ouvir, mas habitualmente diz o que precisamos escutar. Basta haver disposição para ouvi-la e, principalmente, colocá-la em prática. Precisamos estar preparados e o discernimento é um pré-requisito fundamental para percebermos que Ele está realmente falando conosco. O Espírito Santo sempre fala aos nossos ouvidos: “Quem têm ouvidos, ouça o que o Espírito diz às Igrejas”, Ap 2: 7.


Deus fala de diversas maneiras. Pode ser pela pregação, pela leitura bíblica, pela palavra profética. Ou através de uma criança, da natureza, da experiência de pessoas idosas; enfim, o Senhor fala da forma que julgar necessário. Isso porque Ele conhece cada pessoa: suas características pessoais, seu caráter, sua personalidade, seu temperamento. Quando quer, fala diretamente ao nosso coração. Por isso é importante aprendermos ouvir a voz de Deus, 1Sm 3: 4.


Neemias é um exemplo de alguém que ouviu a voz de Deus, mas não ficou apenas nisso.



Neemias confiou em Deus


Confiar implica em depositar toda a sua esperança nas mãos de alguém. Na vida cristã, significa entregar-se totalmente nas mãos de Deus, principalmente naqueles momentos em que imaginamos que temos a solução para um problema.


Nossos planos podem não ser os planos de Deus, nossos caminhos podem não ser os de Deus. Por isso, é que temos de entregar tudo em suas mãos. Só Ele é onisciente, onipotente e onipresente.


Neemias arriscou sua vida. Ele estava convicto de que nada de mal lhe aconteceria porque conhecia o Deus a quem servia. Obstáculos não faltaram, inimigos tentaram destruí-lo, os meios necessários para o cumprimento da missão não eram os melhores, mas ele prosseguiu no seu alvo.


No momento mais complicado, ele orou: “Ó Deus, fortalece as minhas mãos”, Ne 6: 9b. Nesta oração, encontramos uma atitude de confiança em Deus. Sua missão em meio a tantas perseguições não foi fácil, contudo sua fé estava firmada no Senhor dos Exércitos, no Deus Todo-poderoso.


Em nossos dias, não é diferente. O mundo espiritual é o mesmo, estamos em guerra contra o reino das trevas. Veja bem, não contra a carne e o sangue, mas contra Satanás, contra os demônios. Para vencermos essa batalha, temos de realmente depositar nossa fé em Deus, confiar naquele que tudo pode.


Não há outro caminho. Só o Senhor tem poder para agir e fazer com que nosso inimigo bata em retirada. Ele é o Deus da vitória.



Neemias não fugiu da batalha


A vida é uma guerra constante e a vitória só pertence àqueles que perseveram até o fim. Não é fácil, mas é necessário. Aqueles que viram as costas para seu inimigo demonstram medo e podem ser alvejados com facilidade, sem nenhuma chance de se desviar das setas lançadas. Por isso, o melhor caminho é sempre enfrentá-los.


Neemias fez isso. Seu exemplo mostra que nós também não podemos fugir da batalha. O soldado que foge da guerra está praticando um ato de covardia. Por que fugirmos, se nossa guerra já está ganha? Por que fugir da batalha se o Senhor Jesus caminha conosco e nos dá vitória? O apóstolo Paulo diz: “Em Cristo somos mais que vencedores”, Rm 8: 37. Não há nada a temer. Basta obedecermos à sua vontade.


Semaías, alegando falsamente que seus inimigos poderiam vir à noite e matá-lo, convidou Neemias para fugir e se esconder no templo, Ne 6: 10-11. Contudo, ele não aceitou tal proposta porque tinha a certeza de que era um homem de Deus e, por isso, não poderia fugir ao seu compromisso. O Senhor lhe daria vitória.


Assim, mesmo ameaçado, concluiu toda a obra de reconstrução de Jerusalém e teve a alegria de ver os judeus retornando do cativeiro babilônico e celebrando a Deus. Esdras, o líder religioso, fez um apelo para o povo voltar-se para Deus, leu a lei do Senhor para todos e eles se reconciliaram com Deus. E uma nova fase se instalou na vida de Israel, porque Neemias ouviu a voz de Deus, confiou nele e não fugiu à batalha.







Conclusão




Pela sua firmeza, a história de Neemias traz grandes lições para o cristão e princípios de liderança para os obreiros da seara do Senhor. Cabe a cada um aprender essas lições. No dia-a-dia, não devemos ouvir vozes estranhas, mas somente a do Senhor. Confiar somente em Deus e não fugir da batalha. Que Deus nos dê essa graça.



    O Autor:




João Batista de Oliveira 
é pastor pioneiro da IPRB,
tendo sido recebido em 08/01/1975.

Detentor do prontuário 136.
Diretor de Seminário em Ponta Grossa, PR.
Artigo publicado no Jornal Aleluia de abril de 2006.
Inserido no site em 10/08/2007.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...